Neurofibromatose

A neurofibromatose ou comumente chamada de doença de Von Recklinghausen é uma doença congênita nos quais múltiplos crescimentos anormais do tecido nervoso, carnudos e moles aparecem na pele e em outras partes do corpo.
As células de Schwann responsáveis pela produção de mielina e de outras células que rodeiam e suportam os nervos periféricos, trazem tumefações, e habitualmente começam após a puberdade onde surgem pequenos nódulos por debaixo da pele.

Diagnóstico da doença
Cerca de um terço dos pacientes, descobrem estes nódulos, quando vão aos consultórios médicos para tratarem outros problemas de pele e assim são detectados esses nódulos, outro um terço dos pacientes que sofrem de neurofibromatose, não tem sintomas e os nódulos são encontrados no decurso do exame físico de rotina e o terço restante, descobrem a neurofibromatose por terem problemas neurológicos e procuram um médico descobrindo assim a doença.

Sintomas e surgimento da doença
Muitas pessoas nascem ou aparecem na infância às pequenas manchas na pele de cor castanho-claro e em vários pontos do corpo. Na faixa etária dos dez aos quinze anos, começam a aparecer na pele crescimentos de nódulos da cor da própria pele (neurofibromas) com tamanhos e formas variadas e isso poderá provocar problemas no esqueleto do indivíduo, como deformidades das costelas, defeitos como o aumento dos ossos longos do braço e das pernas e problemas na órbita dos olhos.

Por afetar qualquer nervo, a neurofibroma pode ser muito perigosa se chegar a comprimir a medula espinhal. Frequentemente os neurofibromas exercem pressão sobre os nervos periféricos causando vertigem, falta de coordenação e caso haja compressão dos nervos da cabeça, poderá causar cegueira e até complicações neurológicas em casos do aumento de neurofibroma.

A neurofibromatose do tipo dois é um tipo mais raro de doença, isto por desenvolver tumores no ouvido interno, causando diminuição da audição e vertigem em jovens com até 20 anos.

Tratamento no combate da neurofibromatose
Nenhum tratamento pode parar o crescimento da neurofibromatose e só é aconselhável extirpar os tumores quando estes crescem muito junto ao nervo e reduzi-los com a ajuda da radioterapia.

Por ser uma doença hereditária, de forte penetração decorrente de uma anomalia de desenvolvimento embrionário, devido à crista neural localizada nos cromossomos 17 a 22, se faz necessário receber a devido orientação de um médico para a decisão consciente de ter ou não filhos.

Veja um vídeo sobre a Neurofibromatose

 

Leia Mais:

3 Comments

  1. maria izonilda borges says:

    tenho neurofibromatose porque a medicina não se importa com uma doença taõ grave!!!!!
    só quem tem sabe como e
    também é tanta dor!!!!!!!!!!!
    pesso ajuda!!!!!!!!!!!!

  2. Luis Fernando Cunha says:

    Tenho neurofibromatose tipo1 e tipo2 ,os governos não ligam para quem tem essa doença,não podemos nos isolar.

Comentar